domingo, 3 de outubro de 2010

Amigos, cá estou para vos contar mais uma das minhas tardes loucas passadas na baixa!  Eram 14:20 quando sai em direcção a casa da Liliana, estive um bocado com ela na sala no pc e ainda vimos dois vídeos engraçados. Faltavam 6 minutos para o autocarro e lá fomos nós até á paragem. Quando chegamos ainda tivemos a fazer tempo e como devem imaginar, sempre a rir ( faz bem ás rugas;) ). O autocarro chegou e nós fomos até á baixa e quando lá chegamos começamos logo a caminhar em direcção ao bes para a Liliana ir depositar um cheque, mas não é que o banco estava fechado? Vejam lá, vejam lá bem. Prosseguimos até a uma paragem de autocarro para irmos a José Falcão e então não é que passam dois autocarros e eu dei uma das grandes calinadas ? Então foi assim: “10 – via sobralcidade” ( Liliana vilão começa-se a rir do tipo : ahahahahahah ) foi tudo uma questão de segundos, e eu assim que me apercebi da calinada desatei logo a rir , vejam bem. Entramos no bus e a senha não queria entrar:O mais uma vergonha que não esperava acontecer, mas como nem todas as pessoas são iguais, o senhor até foi simpático e deixou-me passar. Chegamos á José Falcão e uma senhora da secretaria estava com uma lupa na mão ( como os problemas visuais chegam a estes pontos, meu deus ) e um simples olhar para a Liliana desencadeou o riso entre nos :D. Recebemos a papelada toda e viemos a pé em direcção ao quiosque dos smtuc, mas a meio do caminho paramos no mac donalds para comprar uma Coca-Cola, e mais um momento de riso aconteceu. Dirigimo-nos ao balcão e pedi a minha coca-cola e uma caixa de nugets, a senhora que era escura perguntou o que é que a Liliana queria, e ela disse que era um gelado, e encaminhou-a para o piso de cima, lá fomos nós ( agora começa a parte mais engraçada ). Chegamos ao balcão e a Liliana queria um mc flurry de oreo mas como não havia pediu um mac flurry de magnum e vira-se um preto “ então leve-me a mim” ( foi aqui o momento de riso :D ) ao sairmos do mac fomos em direcção ao quiosque ( estávamos cheios de dores nos pés, vejam lá ) e ao chegarmos a senhora informa-nos que era outro papel para fazer o carregamento do passe ( tivemos que voltar a José falcão, subir a avenida toda :o). Pelo caminho so pensávamos na chegada á secretaria daquelas instalações. Chegamos lá e reclamamos logo com o senhor que lá estava ( que por sorte nos atendeu ao inicio ) e assim que recebemos a papelada certa viemos embora, então não e que estava a chover torrencialmente ? :O ( arriscamos e pusemo-nos ao caminho xD ) e quando chegamos ao pé do quiosque mais uma barraca e mais um momento de loucura aconteceu, estava um homem do género bob marley , a comer a comida que estava no lixo ( ao inicio meteu impressão mas depois eu e a Liliana olhamos um para o outro e começamos a rir até não puder mais. ) entramos no quiosque e carregamos o passe, e viemos em direcção á papelaria marciano ( não me pagam nada para fazer publicidade mas pronto :D ) onde comprei uma mochila da eastpak muito bonita :o. Para terminar em grande, ao entrarmos no bus a senha não entrava, mas desta vez o homem era muito antipático e fartou-se de ralhar ( não fiquei em terra, é o que interessa ;) )Tipo, sabem aquele vento que se faz sentir nos autocarros ? nem sabem, ficamos todos despenteados, até uma senhora com bigodito estava-se aproveitar do vento para se livrar dos piolhos e pronto, Assim foi mais uma das minhas tardes passadas junto de quem mais gosto, e sem duvida de quem me faz rir e ser feliz cada vez mais.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

02.09.2010 (L)

Eram 8:00 da manhã e já tocava o despertador, trim trim trim ! Lá me lembrei que tinha de estar em casa da Liliana as 9:00 horas para irmos a piscina. Só me levantei ás 8:30, fui lavar a cara, fazer chichi (também fazes J ) E depois fui lavar o cérebro ( o cabelo e tudo :D ). Vim em direcção ao meu quarto e vesti-me, fui comer, lavar os dentinhos e meti uma pastilha a boca no caminho de casa da Liliana. Estava frio, não havia sol e eu estava de calções, t-shirt, tolha ao pescoço e chinelos (quem passasse por mim devia pensar que eu era maluco ou que estava sonâmbulo :O). Cheguei a casa da Liliana e ainda tive uns minutos no sofá dela com a Beatriz marinheiro, até que chega a altura de irmos para o bus. Entramos e até á baixa fomos sempre a rir, ( faz bem as rugas minha gente :D ). Chegamos á baixa e fomos em direcção ás piscinas, ainda tínhamos que andar um bom bocado, e a dada altura liga-me um amigo que fazia parte do nosso grupo, o André (queria-me dizer que já tinha chegado com a Adriano). Aceleramos o passo e perto do clube de remo íamo-nos encontrar com os coelhos ( o João e o Pedro )  e finalmente chegamos a piscina. Já lá estava a minha amiga Márcia junto do André. A piscina era quase só nossa, e assim que lá cheguei mergulhei, e estava-se melhor dentro do que fora de água, mas o engraçado é que mergulhei de uma forma única, DE T-SHIRT E DE CALÇOES (o que eu sofro amigos, mas até gostei xD ) passou-se, tirei a t-shirt e continuei na água e logo de seguida queriam mandar a minha toalha, vejam lá bem ! O sol não abria e já alguns amigos lá presentes comentavam, “á tarde se sol não abrir bazo”. Mas não é que á tarde o sol abriu? (é verdade) começou a chegar mais amigos, e a piscina começou a encher, foram fotos na água, foram gargalhadas, e até temas de conversa de puro SEXO. (aquela Liliana só quer matoo, ahahah :D ) Só os melhores momentos foram passados na parte da tarde J. Até ameaças recebemos, e até o PH da água estava a ser feito :D. Sinto-me feliz em dias como estes.  2.9.2010 <3

terça-feira, 31 de agosto de 2010

3, 2, 1 acção (a)

Amigos, cá estou para vos contar mais uma das minhas tardes loucas passadas na baixa!  Eram 14:20 quando sai em direcção a casa da Liliana, estive um bocado com ela na sala no pc e ainda vimos dois vídeos engraçados. Faltavam 6 minutos para o autocarro e lá fomos nós até á paragem. Quando chegamos ainda tivemos a fazer tempo e como devem imaginar, sempre a rir ( faz bem ás rugas;) ). O autocarro chegou e nós fomos até á baixa e quando lá chegamos começamos logo a caminhar em direcção ao bes para a Liliana ir depositar um cheque, mas não é que o banco estava fechado? Vejam lá, vejam lá bem. Prosseguimos até a uma paragem de autocarro para irmos a José Falcão e então não é que passam dois autocarros e eu dei uma das grandes calinadas ? Então foi assim: “10 – via sobralcidade” ( Liliana vilão começa-se a rir do tipo : ahahahahahah ) foi tudo uma questão de segundos, e eu assim que me apercebi da calinada desatei logo a rir , vejam bem. Entramos no bus e a senha não queria entrar:O mais uma vergonha que não esperava acontecer, mas como nem todas as pessoas são iguais, o senhor até foi simpático e deixou-me passar. Chegamos á José Falcão e uma senhora da secretaria estava com uma lupa na mão ( como os problemas visuais chegam a estes pontos, meu deus ) e um simples olhar para a Liliana desencadeou o riso entre nos :D. Recebemos a papelada toda e viemos a pé em direcção ao quiosque dos smtuc, mas a meio do caminho paramos no mac donalds para comprar uma Coca-Cola, e mais um momento de riso aconteceu. Dirigimo-nos ao balcão e pedi a minha coca-cola e uma caixa de nugets, a senhora que era escura perguntou o que é que a Liliana queria, e ela disse que era um gelado, e encaminhou-a para o piso de cima, lá fomos nós ( agora começa a parte mais engraçada ). Chegamos ao balcão e a Liliana queria um mc flurry de oreo mas como não havia pediu um mac flurry de magnum e vira-se um preto “ então leve-me a mim” ( foi aqui o momento de riso :D ) ao sairmos do mac fomos em direcção ao quiosque ( estávamos cheios de dores nos pés, vejam lá ) e ao chegarmos a senhora informa-nos que era outro papel para fazer o carregamento do passe ( tivemos que voltar a José falcão, subir a avenida toda :o). Pelo caminho so pensávamos na chegada á secretaria daquelas instalações. Chegamos lá e reclamamos logo com o senhor que lá estava ( que por sorte nos atendeu ao inicio ) e assim que recebemos a papelada certa viemos embora, então não e que estava a chover torrencialmente ? :O ( arriscamos e pusemo-nos ao caminho xD ) e quando chegamos ao pé do quiosque mais uma barraca e mais um momento de loucura aconteceu, estava um homem do género bob marley , a comer a comida que estava no lixo ( ao inicio meteu impressão mas depois eu e a Liliana olhamos um para o outro e começamos a rir até não puder mais. ) entramos no quiosque e carregamos o passe, e viemos em direcção á papelaria marciano ( não me pagam nada para fazer publicidade mas pronto :D ) onde comprei uma mochila da eastpak muito bonita :o. Para terminar em grande, ao entrarmos no bus a senha não entrava, mas desta vez o homem era muito antipático e fartou-se de ralhar ( não fiquei em terra, é o que interessa ;) )Tipo, sabem aquele vento que se faz sentir nos autocarros ? nem sabem, ficamos todos despenteados, até uma senhora com bigodito estava-se aproveitar do vento para se livrar dos piolhos e pronto, Assim foi mais uma das minhas tardes passadas junto de quem mais gosto, e sem duvida de quem me faz rir e ser feliz cada vez mais.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

memorável (:

Mais um dia que está a passar, e hoje a minha parte matinal passou-se a assistir a uma agulha que passava tinta para o corpo da minha prima, a juliana ( é verdade, ela fez uma tatuagem tão bonita no pé ). Estava combinado irmos de comboio mas á ultima da hora viemos de carro, demoramos pouco tempo e quando chegamos ao local, indicaram-nos o sitio para a juliana ser tatuada. Como em todos os sítios, estava pessoal á frente e estivemos que estar algum tempo á espera ( como já é habitual , seca, seca ). Transpirávamos por todo o lado, a ansiedade começava aparecer, e eu até estava mais nervoso que a própria ( é verdade, estava com medo que alguma coisa corresse mal ). A dada altura, faz-se soar o nome da minha prima e entramos para perto do tatuador. Foi feito o interrogatório habitual ( nome, idade e essas treta toda ) e depois o Leonel ( tatuador ) começou a preparar o material e de um momento para o outro ouço o barulho da agulha muito fininha no pé da minha prima, eu via pela cara dela que parecia que nada estava a acontecer, só quando se aproximou do osso do pé é que provocou alguma dor. Tudo passou, e de um momento para outro ouço, “já está juliana” ( ufaa, já estava mais descontraído ). Saímos de um sonho que se tornou uma realidade, fico feliz por saber que a juliana concretizou o que á muito queria concretizar. E para quê ter medo? Custa mais partir um braço do que fazer uma tatuagem ( digo eu, mas pelo aspecto, não custa muito ).

domingo, 29 de agosto de 2010

loucura ( ? )

Foi para fechar a semana em grande, no aniversário da minha avó, que mais um momento de loucura se passou junto da minha prima ( juliana ). Ora então, estávamos nós descansados da vida a ouvir música e a brincar aos médicos ( pois é amigos, a vida é uma criança ) quando me dá vontade de ir a uma loja de chinocas ( sitio onde raramente entro, fobia ).  Lá fomos á loja com os nossos glasses, telemóveis, música e muita boa disposição, mas á chegada algo aconteceu. A minha amiga de nome Juliana dirige-se a zona dos vernizes e eu digo para ela ter cuidado para não deixar cair nenhum, tudo a correr muito bem eu comprei uns fones , um corta-unhas e o momento de loucura , ou não, acontece :o um verniz que pára nas mãos da juliana, escorrega, cai e PUM ! partiu. O pânico instaurou-se em mim ( só tinha vontade de me vir embora ) mas consegui  ficar calmo, e não ter nenhum ataque de riso. Nem 10 segundos passaram e aparece a chinesa muita aflita a ralhar como se nos tivéssemos culpa de um frasco de tinta vermelha ter caído no chão ( oh, é verdade , tivemos culpa mas também ainda não tenho nenhuma costela de bruxo ).  Uma mancha de verniz espalhou-se por um quadrado de ladrilho da loja. Foi quase um jornal inteiro para limpar o chão, e vejam bem como os chineses são inteligentes, a 1ª reacção da mulher foi agarrar na setona e a primeira reacção da juliana foi pedir uma esfregona, enfim tudo para ajudar á festa. Mas tudo se conseguiu resolver e o melhor foi que viemos embora e a senhora não quis que nos pagássemos o verniz ( até foi simpática, não acham ? eu acho ). Com isto tudo, comprou-se um verniz azul para o esverdeado, e quando se chegou a casa contamos o que se tinha passado e tudo riu e tudo pintou unhas ( menos nós cavalheiros, como é óbvio ).  Não tenho muito jeito para explicar estes momentos de loucura, mas foi engraçado e já viram o trabalho que dá quando se parte um verniz ?? mas é a melhor coisa para distrair um chinês ;)

sábado, 28 de agosto de 2010

isto é amizade ??!

Foi um ano de uma tentativa de relação de amizade, mas como deu para reparar nada batia certo, feitios completamente opostos, e até a nossa maneira de ser. Quando em ti confiei tudo, em ti tudo foi confiado. Tenho pena de que, de um momento para o outro, se tenha colocado uma barreira de revolta entre nós. Se erraste eu também errei, se falaste eu também falei, se choraste eu também chorei, Se cresci com a tua amizade? Não cresci apenas tornei-me criança em saber que cada dia da minha vida era desprezado com a tua ignorância. Quando te encontro em qualquer sítio tento esquecer todos os problemas, todas as boquinhas e até todas as ofensas, mas a consciência é mais forte que tudo o resto.  Para quê errar? Para quê falar? Para quê chorar? Tenta conhecer melhor os teus verdadeiros amigos.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

pura amizade (L)

Eram 9:00 horas do dia 15 de Setembro quando dei entrada num portão azul da escola instituto educativo de lordemão. Já tinha consciência que o novo ano lectivo iria ser diferente, mudança de turma, novos ares, novas amizades e até uma nova batalha para enfrentar. Num grupo de 27 pessoas, apenas 6 eram conhecidas. As primeiras horas, os primeiros minutos, os primeiros dias e até os primeiros meses foram passados com grande dificuldade. Em meados de Novembro, uma nova amizade surgiu. Uma rapariga escura, bonita, inteligente, de grande maturidade despertou-me a atenção. A maneira de ser, a maneira de ver as coisas e os outros era diferente. Quando via a noite, pensava no dia que teria de enfrentar, os insultos a que estava sujeito, as brincadeiras de mau gosto e até a coragem de conseguir ter alguém ao meu lado. Essa rapariga escura tem de nome Vanessa Isabel Sani, um nome que durante a fase de primeiro ciclo não me soava muito bem. Mas como tudo na vida acontece, connosco aconteceu o que dificilmente a muitos pode acontecer – começo de uma amizade. Lembro-me dos nossos primeiros intervalos juntos, dos nossos primeiros beijos e até dos nossos primeiros telefonemas de pura comédia. Todo o tempo é escasso, e eu via a nossa amizade a progredir cada vez mais, os nossos momentos a serem aproveitados como se não houvesse o amanha. Quando tive a certeza de que contigo conseguia construir uma relação de amizade, as aulas na sala 27 no instituto educativo de lordemão eram diferentes, começamos a partilhar o nosso material, a nossa comida e até a nossa vida. Sou feliz por saber que és feliz. Se os abraços fossem plantas, dar-te-ia um quintal. Se a vida fosse um planeta, dar-te-ia uma galáxia. Se a AMIZADE fosse a vida, partilhá-la-ia contigo. Se há pessoa que mais força me deu para ultrapassar certos obstáculos na minha vida, foste tu Vanessa. Sentia-me um saco de box no meio de um ring. Um ano, valeu mais do que dois ou três daqueles em que o ódio nos conseguia superar. Todas as chatices que se fizeram aconteceram foram sempre uma batalha vencida, pois a força e a amizade que entre nos existia era sempre mais forte. Tive de ser eu a perseguir-te, tive de ser eu a encontrar-te, para seres a minha luz, ou simplesmente a minha lição de vida. Ao longo destes largos meses persegui-te e não estou nada arrependido, mas nem todos têm a mesma sorte. A vida dá-nos destas coisas perfeitas e nós sabemos aproveitá-las. O segredo desta nossa amizade acaba por passar da tua maneira de ser e a tua forma de pensar que me faz querer-te comigo um bocadinho mais todos os dias. E que me faz pensar o que estará certo e o que estará errado e que por vezes me faz ter a certeza que te quero ao meu lado e que não te quero magoar nunca. “as tuas certezas são as dúvidas das tuas incertezas” e acredita que todos os defeitos em ti fazem parte da bela e real pessoa que és. Não sei se neste momento sem a tua presença na minha vida, poderia sorrir como sorrio, falar como falo, comer como como, crescer como tenho vindo a crescer. São estas coisas, que por muitos anos que passem, por muitas amizades que se façam, nunca se esquecem as relações tão íntimas e tão carinhosas como a nossa, e tenho orgulho de teres entrado na minha vida. Quem planta amor, paz e carinho, cultiva os seus próprios e verdadeiros amigos.

Amo-te Vanessa Isabel Sani (L)

10 anos (L)

É incrível a forma como nos conhecemos, o quanto a escola dos Casais do Campo nos fez aproximar um do outro. Lembro-me ainda de que a partir do momento em que entro numa porta castanha, podre, pequena e uma professora de nome Graciete me coloca numa carteira ao lado de uma rapariga alta, de puxos, e de óculos, que a minha vida a nível social se modificou. Chamava-se Liliana Raquel Gomes Vilão. Eu sentia que precisava de conviver, de me dar bem com uma rapariga divertida, alegre e faladora como tu. O primeiro ano escolar passa e a amizade, brincadeiras, conversas entre nós nunca tem fim. E quando o segundo ano escolar regressa, cada dia naquela escola era uma batalha. Mas naquela turma ninguém tinha brincadeiras como nos tínhamos, ninguém como eu tinha a capacidade de escrever cartas a esta rapariga, do género “ queres fazer sexo comigo?” enfim, eram brincadeiras de crianças, de pura intimidade. O pior está a chegar, o 3º ano aparece e a terrível notícia por parte dos meus pais é divulgada devido a problemas pessoais onde tive que mudar de escola, conhecer novas pessoas, novos ares, enfim voltar a viver uma vida nova. O tempo passou, e a vida parecia desaparecer, quase nem fazia sentido, já nem vivia apenas sobrevivia. Viajar e viajar para apagar todo este pesadelo da minha cabeça, pesadelo que perdurou durante algum tempo. Numa viagem, numa longa viagem, uma grande luz, em frente, uma luz radiante que a pouco e pouco ia desaparecendo lentamente. Procurei incansavelmente, jurando que a iria encontrar, pois seria a minha salvação. Mas infelizmente acabo por desistir, mas nesse instante um raio enorme cai sobre meus pés. Afinal essa luz não fugia não desaparecia, apenas era uma luz tímida, envergonhada mesmo, que apenas não tinha coragem de se mostrar. Voltou a esconder-se, a timidez vencia. Vários conflitos se sucederam, e quando ficava chateado contigo sentia-me mal então imaginam quando tivemos aquele tempo sem falar devido a problemas de criancinhas. Eram dias, noites que nunca tinham fim, e cada minuto, segundo que passava eu via a nossa amizade a divergir-se cada vez mais. Mas felizmente tudo teve um fim, tudo passou, uma nova vida entre nos aconteceu, uma nova amizade renasceu e hoje sinto-me uma pessoa feliz por saber que posso falar contigo, por saber que posso rir contigo, por saber que posso sair contigo para os baloiços, por saber que posso sair contigo para festas e até por saber que te engasgas a beber água ao pé de mim. São estas pequenas coisas que fazem a diferença, e como tudo na vida, tem um inicio e um fim, mas independentemente do que acontecer no futuro, só me resta em mente os bons episódios que passamos juntos e que entre nos aconteceu. A vida que partilhamos juntos e até que vivemos juntos, nunca irá ser falada a ninguém, tenho a certeza que a tinta que gastei neste desabafo, não foi em vão, valeu a pena porque há muito que precisava de te dizer isto, de mostrar realmente o que sinto por ti, pura amizade. Sempre lutei para que a nossa amizade nunca chegasse ao fim, e se consegui não vou desistir, “ será que a amizade de amigos máximos poderá renascer novamente como renasceu á 10 anos atrás? “

Adoro-te Liliana <3